• Adoção e Comunidade

    Bank of America está bullish com criptoativos


    Por Dassia Souza • 7 de outubro de 2021
    tempo de leitura do artigo: 4 minutos

    O Bank of America, o 2° maior banco dos EUA, está bullish com criptoativos, com a capitalização da nova classe de ativo batendo em mais de USD 2 trilhões, superando o PIB de muitos países. 

    Do mesmo modo, o banco lançou sua pesquisa de criptomoedas com um novo relatório de 140 páginas intitulado “Digital Assets Primer: Only the first inning”. O qual cobre Bitcoin (BTC), NFTs, DeFi, moedas digitais do banco central (CBDCs) e muito mais. Traduzindo o título da pesquisa “Melhores oportunidades em ativos digitais: Esse é apenas o início.”

    Nesse sentido, os resultados do relatório mostraram que 221 milhões de pessoas compraram ou venderam uma criptomoeda até junho de 2021, em comparação com os 66 milhões em maio de 2020.

    Bank of America está bullish com criptoativos

    A atenção do Bank of America focava só na negociação do BTC e de futuros de BTC. Porém ante os últimos aumentos do preço do BTC cruzando os 50K, aumentou a confiança nos criptoativos.

    No entanto, seu novo relatório sugere que o banco está examinando todos os aspectos da indústria de ativos digitais. 

    “Os criptoativos que permitem a construção de uma plataforma, como o iPhone da Apple fez para os aplicativos, estão ganhando mais valor. Entre eles, os três primeiros são ETH (365% ytd para USD 403 bilhões), ADA (1427% ytd para USD 89 bilhões) e BNB (1142% ytd para USD 78 bilhões) ”.

    Além disso, o relatório cita a crescente relevância das stablecoins e o potencial dos CBDCs. Onde as seis principais stablecoins ​​por capitalização de mercado alcançaram um valor de USD 115 bilhões. Além disso, processaram USD 2,8 trilhões em transações no primeiro semestre de 2021.

    No entanto, a preocupação é que as stablecoins privadas poderiam criar risco sistêmico no caso de uma situação de “corrida aos bancos”. Nesse caso, os emissores teriam que liquidar suas garantias, causando um efeito de contágio nos mercados financeiros tradicionais. Por exemplo, no caso da Tether Limited, gera um retorno sobre as reservas e, se eles cresceram muito, a demanda de resgate pode levá-los a tentar liquidar suas participações em papéis comerciais, o que poderia ter ramificações maciças nos títulos corporativos.

    Caso da CBDCs

    De acordo com o relatório, o banco acredita que os CBDCs (criptomoedas emitidas por bancos centrais) são uma questão de “quando”, não “se”.

    Os governos e reguladores do mundo intensificaram os esforços para limitar o uso dos criptoativos, à medida que a adoção e o uso aumentaram. Portanto, algumas das principais questões do foco giram em torno de AML / KYC, a tributação e responsabilidade. AML são medidas contra a lavagem de dinheiro e KYC são medidas para conhecer seu cliente com identificação documental do cliente.

    Assim, de acordo com o relatório, “um CBDC emitido ou administrado pelo banco central abordaria estas questões mantendo o controle da política monetária pelo banco central”.

    Além disso, o Bank of America mantém o foco nas NFTs. Enquanto eles creditam os métodos atuais de utilização para arte e jogos, também reconhecem outros casos de uso. “Os NFTs podem ser usados ao invés de escrituras, títulos ou qualquer coisa necessária para demonstrar a propriedade. E tudo sem um intermediário cobrando uma taxa”.

    Ante isso, Anto Paroian, diretor de operações do fundo de hedge ARK36, disse: “A coisa mais interessante a se notar é que o [relatório] menciona explicitamente NFTs como um dos atuais impulsionadores de o mercado de criptoativos”.

    Os NFTs são uma economia maciça. O Bank of America parece estar bem ciente do potencial da NFT se estenderá a outras indústrias e se estenderá muito além deste mercado altista”.

    Anto Paroian

    A ameaça DeFi

    Assim, talvez a maior ameaça ao modelo de negócios do Bank of America seja as finanças descentralizadas (DeFi). Onde os usuários podem realizar muitas das funções de um banco tradicional, como tomar empréstimos, conceder empréstimos, obter rendimentos atrativos e muitas outras atividades. 

    O relatório parece otimista sobre seu futuro:

    “A SEC está investigando os aplicativos e as empresas DeFi para determinar se devem trazê-los para a estrutura regulatória atual. Estamos otimistas quanto ao crescimento a longo prazo deste segmento à medida que a incerteza regulatória é esclarecida”.

    Ao longo do relatório, o Bank of America enfatiza que o principal fator adverso para o crescimento no curto prazo é o risco regulatório. Mas eles também afirmam que, no longo prazo, a clareza dos reguladores permitirá que novos entrantes participem da classe de ativos emergente.

    Você acha que o Bank of America adquirirá mais criptomoedas além do Bitcoin (BTC)? Comente!

    Curta a página da CryptoRadar no Instagram, Facebook e Twitter interaja conosco.

    Fonte: Bank of America is Bullish on Digital Assets; Believes Bitcoin is Only the Beginning

  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.