• Análise Técnica

    CryptoInforme

    CryptoInforme 06/10


    Por Jean Pierre Teixeira Costa • 6 de outubro de 2021
    tempo de leitura do artigo: 14 minutos

    Vamos ao CryptoInforme do dia 06/10!


    CENÁRIO GLOBAL

     

    Senado dos EUA vai adiar votação para suspender teto da dívida

    O Senado dos Estados Unidos vai adiar uma votação prevista para a tarde desta quarta-feira sobre a suspensão do teto de 28,4 trilhões de dólares para a dívida do governo federal, disseram quatro senadores republicanos e um assessor democrata.

    Nesse sentido, não ficou claro quando a votação adiada seria realizada.

    Estamos a um milímetro de acordo de imposto corporativo, diz Le Maire

    O mundo está a um milímetro de um consenso sobre impostos corporativos globais e um acordo pode ser assinado em Washington na próxima semana ou no G20, disse o ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, nesta quarta-feira.

    Um esboço atualizado de uma revisão do imposto corporativo global tirou o “pelo menos” da taxa mínima proposta de “pelo menos 15%”, possivelmente eliminando um grande obstáculo para a Irlanda conforme as negociações entram na reta final, disseram fontes familiarizadas com as discussões.

    Nesse sentido, disse Le Maire à CNBC:

    “Estou totalmente determinado a abrir caminho para um consenso porque estamos a um milímetro de um acordo global sobre um novo sistema tributário internacional para o século 21, e não devemos perder a oportunidade de construir esse novo sistema de imposto.

    Poderíamos ou na próxima semana, durante as reuniões em Washington, ou na reunião do G20 em Roma no final de outubro, assinar o acordo final sob o sistema internacional de imposto.”

    Nessa linha, Le Maire disse que alguns países estão pedindo um período de implementação de dez anos, e “por que não?”, acrescentando que será necessário haver um meio-termo.

    Nessa linha, afirmou ainda:

    “O ponto importante é adotar um consenso, até o final deste mês, sobre o novo sistema tributário internacional. 

    Posso esperar mais alguns dias. Não estou dizendo mais algumas semanas, ou mais alguns meses, mas estou pronto para esperar mais alguns dias, para que possamos chegar a um acordo com todos os membros da OCDE.”

    Crise do teto da dívida dos EUA precisa ser resolvida “imediatamente”, diz Yellen

    A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse que o teto da dívida do país precisa ser elevado pelo Congresso “imediatamente” para evitar uma crise financeira.

    Falando com presidentes executivos de bancos e o presidente norte-americano, Joe Biden, na Casa Branca, Yellen alertou que o Tesouro teria “dinheiro muito limitado” que se esgotaria rapidamente após o prazo de 18 de outubro.

    O Congresso precisa prestar atenção imediata à crise, disse ela.

    “Isso precisa ser resolvido imediatamente. Do contrário, os EUA enfrentarão uma crise financeira.”

    Giro pelas bolsas americanas

    S&P 500 dá grande retorno quando McConnell oferece teto para dívidas Olive Branch

    O S&P 500 se recuperou fortemente para encerrar em alta na quarta-feira, depois que legisladores republicanos suavizaram sua posição sobre uma extensão do teto da dívida, abrindo caminho para um possível acordo que evitaria o calote dos EUA.     

    Nesse sentido, o S&P 500 subiu 0,41%, o Dow Jones subiu +0,30% e o Nasdaq, +0,47%.

    Dessa forma, o líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, disse que apoiaria a extensão da extensão do limite da dívida até dezembro para dar aos democratas mais tempo para elevar o teto.

    Além disso, o Departamento do Tesouro indicou que o teto da dívida precisará ser aumentado até 18 de outubro para que os EUA evitem ficar sem dinheiro.

    Desse modo, disse McConnell em um comunicado:

    “Isso vai debater as desculpas dos democratas sobre o aperto de tempo que eles criaram e dar ao governo democrata unificado tempo mais do que suficiente para aprovar uma legislação autônoma de limite da dívida por meio da reconciliação”.

    Além disso, informou a Scotia Economics:

    À medida que o relógio marcava para o fim do prazo de 18 de outubro, os investidores não pareciam ansiosos para apostar no calote dos EUA, já que o preço do risco de calote dos swaps de crédito de 5 anos no teto da dívida dos EUA apenas subiu um pouco nos últimos meses.”

    Tecnologia

    A tecnologia liderou a mudança, com a tecnologia megacap em ascendência.

    Apple (NASDAQ: AAPL ), Facebook (NASDAQ: FB ), Microsoft (NASDAQ: MSFT ), Amazon.com (NASDAQ: AMZN ) e Alphabet (NASDAQ: GOOGL ) ficaram no verde.

    O lado positivo no mercado mais amplo foi sufocado, no entanto, pela queda na energia, acompanhada por uma queda nos preços do petróleo após decepcionantes dados semanais de petróleo dos EUA e relatórios de que os EUA estão considerando liberar suprimentos de petróleo de emergência.

    Nesse sentido, o cenário de aumento dos preços da energia alimentou os temores dos investidores de que a inflação elevada persistirá, enquanto a força da recuperação permanece em dúvida, podendo levar à estagflação.

    Assim, esses temores estão se manifestando no mercado de títulos, onde o catalisador que impulsiona os rendimentos do Tesouro mudou de aumento dos rendimentos reais para um “aumento no ponto de equilíbrio – indicativo de preocupações crescentes de estagflação devido ao aumento do aluguel nos preços de energia”, disse a Daiwa Capital Markets em um Nota.

    Títulos do Tesouro Protegidos pela Inflação

    As expectativas de inflação de equilíbrio para os Títulos do Tesouro Protegidos pela Inflação (TIPS) de cinco anos subiram para 2,61%, a maior desde o final de julho, enquanto os TIPS de 10 anos atingiram 2,45%, a maior desde junho.

    Por outro lado, outros setores cíclicos também ficaram no vermelho, incluindo financeiro e industrial, mesmo com os dados de que a economia criou mais empregos privados no mês passado.

    Giro pelas bolsas europeias

    Temores inflacionários derrubam ações europeias em meio a alta do petróleo

    As ações de montadoras, varejo e viagens caíram mais de 2,5% nesta quarta-feira, liderando as perdas entre os principais setores da Europa, já que os crescentes preços do petróleo e do gás intensificaram temores de que a inflação prejudicará o crescimento econômico.

    Dessa forma, o índice FTSEurofirst 300 caiu -0,99%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu -1,03%, devolvendo quase todos os ganhos obtidos na terça-feira.

    Além disso, os preços do gás no atacado na Holanda e no Reino Unido atingiram máximas recordes nesta terça, em meio a aumentos mais amplos nos preços de energia.

    Assim, disse o Deutsche Bank (DE:DBKGn) (SA:DBAG34) em nota:

    “A zona do euro é uma das maiores perdedoras (com a alta nos preços do gás natural) no mundo desenvolvido, com a deterioração de conta corrente potencialmente se aproximando de 2% do PIB.

    Movimentos recentes podem potencialmente zerar o superávit comercial da Europa se persistirem.”

    Crise de energia 

    Uma crise global de energia, escassez de mão de obra e outras restrições da cadeia de abastecimento têm pesado na recuperação da economia global, num momento em que os principais bancos centrais estão considerando aliviar o enorme estímulo da era da pandemia.

    Além disso, o STOXX 600 caiu cerca de -5,5% desde que atingiu um pico recorde em agosto.

    Assim, em Frankfurt, o índice DAX caiu -1,46%. 

    Por fim, em Paris, o índice CAC-40 perdeu 1,27%.

    Giro nacional

    Câmbio

    Após subir quase 1%, dólar fecha perto da estabilidade com esperança de acordo de dívida nos EUA

    O dólar fechou perto da estabilidade, em alta de 0,06%, cotado a 5,4875 BRL, nesta quarta-feira (6).

    Isso ocorreu após um avanço de quase 1% no início do dia, num movimento de realização de lucros que acompanhava a melhora geral dos mercados financeiros por esperanças de algum acordo de dívida nos EUA.

    Nesse sentido, na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a 5,5371 BRL.

    Por outro lado, o dólar turismo foi negociado a 5,69 BRL o papel moeda, chegando a superar 6 BRL nas compras por meio de cartão pré-pago.

    Assim, com o resultado desta quarta, a moeda norte-americana acumula alta de 0,77% no mês e de 5,79% no ano.

    Ibovespa se recupera durante o dia e mantém os 110 mil pontos

    O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, fechou em leve alta nesta quarta-feira (6), com reversão de dia negativo nos mercados externos. 

    Assim, pela manhã, houve movimento de realização de lucros com investidores preocupados com choques de oferta e demanda de energia e monitorando também os persistentes riscos fiscais no Brasil.

    Nessa linha, o Ibovespa subiu 0,09%, a 110.560 pontos. 

    Por fim, com o resultado de hoje, o índice acumulou perda de -0,38% no mês e de 7,11% no ano.

     

    As commodities

     

    Os Futuros do Petróleo caem

    Os Futuros do Petróleo caíram nesta quarta.

    Na Bolsa de Nova York, os Futuros do Petróleo com vencimento em novembro foram negociados a 77,06 USD por barril, no momento da escrita deste Cryptoinforme, queda de -2,37%.

    Nesse sentido, o Petróleo estava propenso a encontrar suporte em 73,14 USD e resistência em 79,78 USD.

    Em outra parte da ICE, o Petróleo Brent para entrega em dezembro registrou perdas de -2,17% para negociação a 80,77 USD por barril.

    Enquanto isso, o spread entre o Petróleo Brent e o Petróleo ficou a 3,71 USD por barril nos contratos.

     

    Os Futuros do Ouro sobem

    Os Futuros de Ouro subiram nesta quarta-feira.

    Na divisão Comex da Bolsa de Nova York, os Futuros de Ouro com vencimento em dezembro foram negociados a 1.763,25 USD por onça troy, no momento da escrita deste Cryptoinforme, alta de + 0,13%.

    Nesse sentido, o Ouro estava propenso a encontrar suporte em 1.721,80 USD e resistência em 1.771,50 USD.

    Em outra parte da Comex, a Prata para entrega em dezembro registrou perdas -0,11% para negociação a 22,633 USD por onça troy.

    Por outro lado, o Cobre para entrega em dezembro registrou perdas -0,58% para negociação a 4,1682 USD por libra-peso.

     

    Os Futuros do Gás Natural Caem

    Os Futuros do Gás Natural caíram nesta quarta-feira.

    Na Bolsa de Nova York, os Futuros do Gás Natural com vencimento em novembro foram negociados a 5,742 USD por milhões de unidades térmicas Britânicas, no momento da escrita deste Cryptoinforme, queda de -9,03%.

    Assim, o Gás Natural estava propenso a encontrar suporte em 5,341 USD e resistência em 6,526 USD.

    Nesse sentido, o Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou ganhos de +0,50% para negociação a 94,252 USD.

    Em outra parte da Nymex, o Petróleo para entrega em novembro registrou perdas -1,46% para negociação a 77,78 USD por barril.

    Enquanto isso, o óleo para entrega em novembro registrou perdas de -1,72% para negociação a 2,4508 USD por galão.

     

    CENÁRIO NACIONAL

    IGP-DI aponta deflação de 0,55% em setembro, diz FGV

    O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou deflação de 0,55% em setembro, após a variação negativa de 0,14% em agosto, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira (6).

    Nesse sentido, a  queda de preços foi menor do que a mediana das estimativas de 26 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, de deflação de 0,68%, com intervalo das projeções entre -1,22% e +0,5%.

    Com este resultado, o índice acumula alta de 15,12% no ano e de 23,43% em 12 meses. Em setembro de 2020, o índice havia subido 3,30% e acumulava elevação de 18,44% em 12 meses.

    Dessa forma, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços, em comentário no relatório:

    “A queda de 22,11% registrada no preço do minério de ferro influenciou novamente o resultado da inflação ao produtor.

    Afora o comportamento do minério, os preços de outras commodities importantes também apresentaram quedas, como milho (5,26% para -5,10%), bovinos (-0,24% para -2,69%) e soja (4,25% para -0,32%).”

    Assim, com peso de 60%, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou queda mais intensa na passagem de agosto para setembro: sua taxa passou de -0,42% para -1,17% em setembro.

    Além disso, com peso de 30%, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 1,43% em setembro, contra 0,71% em agosto.

    Por outro lado, cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Habitação (0,59% para 2,59%), Educação, Leitura e Recreação (1,03% para 2,90%), Transportes (0,69% para 1,50%), Comunicação (0,05% para 0,39%) e Despesas Diversas (0,18% para 0,30%).

    Com os 10% restantes, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,51% em setembro, ante 0,46% no mês anterior.

    Além disso, os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de agosto para setembro: Materiais e Equipamentos (1,01% para 0,71%), Serviços (0,47% para 0,35%) e Mão de Obra (0,00% para 0,37%).

    Assim, o IGP-DI compara preços coletados entre o dia 1º e o último do mês de referência com os do mesmo período do mês imediatamente anterior.

     

    Indicadores Econômicos

    Fonte: CryptoInforme

    GIRO NO MUNDO CRYPTO

    No cenário cripto, o mercado operou em valorização apresentando um ganho de +3,34%, com isso o valor total do mercado registra 2,309 trilhões de dólares.

    Bitcoin (BTC) – Marketcap Total.
    Fonte: CryptoInforme

    No que se refere à dominância do mercado, o Bitcoin (BTC) opera retomando espaço no mercado e durante o dia atingiu máxima em 45,02% e mínima nos 43,36%.

    Assim, até o fechamento desta edição o Bitcoin ocupava 44,99% registrando um ganho de +3,60%.

     

    Bitcoin (BTC) – Dominância.
    Fonte: CryptoInforme

    Por fim, apresentamos as principais criptomoedas que se destacaram nas últimas 24 horas:

    • Bitcoin Gold (BTG) +17,62%:
    Bitcoin Gold (BTG) – Price Action
    Fonte: CryptoInforme

     

    • Arweave (AR) +16,50%:
    Arweave (AR) – Price Action
    Fonte: CryptoInforme

     

    • Fantom (FTM) +10,24%:
    Fantom (FTM) – Price Action
    Fonte: CryptoInforme

     

    • Wrapped Bitcoin (WBTC) +9,53%
    Wrapped Bitcoin (WBTC) – Price Action
    Fonte: CryptoInforme

     

    • Bitcoin (BTC) +7,00%:
    Bitcoin (BTC) – Price Action
    Fonte: CryptoInforme

    Cenário Técnico

     

    No cenário técnico, o Bitcoin (BTC) segue em valorização e nesta quinta-feira obteve um ganho que representava +7,18% e até o momento do fechamento desta edição do CryptoInforme custava 55.200 USD.

    Dito isto, podemos observar no comportamento do price action do ativo uma continuidade do movimento altista motivada pelo reaquecimento do humor do mercado que voltou a ficar otimista após o rompimento dos 43.500 USD no dia 1° de outubro.

    Observa-se também a sequência de um movimento altista que até o momento enfrenta a resistência da região entre os 55.000 e os 58.000 USD citada no CryptoInforme do dia 30 de setembro.

    Além disto, percebe-se também uma valorização do ativo motivada pelas ordens de stops nas operações frente às altcoins, executando a compra do BTC, o que fez com que o ativo também recuperasse a dominância no mercado.

    Desta forma, é chegado o momento de cautela para a sequência desse movimento que poderá enfrentar uma redistribuição de parte dos lucros executados no ativo para o BTC.

    Sendo assim, o nível de atenção redobrado para essa região torna-se necessário, visto que a força relativa chegou aos níveis de sobrecompra ou “overbought”  alcançando os 70,20.

    Uma possível correção do ativo para zonas mais saudáveis podendo retornar até mesmo ao nível de suporte que foi resistência próximo aos 52.800 USD podendo chegar até os 48.800 USD não poderá ser descartada levando em consideração o momento extremamente otimista..

    Do ponto de vista técnico podemos observar o final do movimento gerado pela progressão do fundo duplo “double botton” e a exaustão do preço no enfrentamento da resistência nos 55.000 USD.

    Sendo assim, a sequência do movimento poderá apresentar uma tentativa de alcance da máxima histórica que poderá formar um movimento altista conhecido por “cup and handle” ou xícara tendo como referência o período semanal.

    Nesse sentido, a chegada do preço nos 60.000 USD e uma acumulação do preço nessa região poderia carregar o preço em uma corrida bull até os 69.000 USD em progressão de longo prazo. 

    Reitera-se a importância em se evitar posições com altas alavancagens visto que o atual momento é de risco para essa modalidade.

    Assim, em referência ao gerenciamento de riscos para as operações, é importante respeitar o momento de cautela para as operações e a utilização das ferramentas de proteção para as posições, tais como os stops, para que com o retorno da grande volatilidade não haja agressão ao patrimônio empregado nas operações.

     

    Bitcoin (BTC) – Price Action 1.
    Fonte: CryptoInforme
    Bitcoin (BTC) – Cup and Handle ou xícara.
    Fonte: CryptoInforme
    Bitcoin (BTC) – Price Action 3.
    Fonte: CryptoInforme

     



    Reportagem de Jean Pierre Teixeira Costa e reportagem adicional de Ana Flávia Santana Saraiva.


    Acompanhe o CryptoInforme diariamente e fique por dentro das principais notícias!

    Curta a página da CryptoRadar no Instagram, Facebook e Twitter interaja conosco.



    OBSERVAÇÃO:  O informativo CryptoInforme do dia 06/10 não é aconselhamento financeiro, legal e nem indicativo de compra e venda de qualquer ativo. As decisões de como investir devem ser pessoais e com base em seus estudos e pesquisas sobre o mercado financeiro. 


  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.