• Análise Técnica

    CryptoInforme

    CryptoInforme 23/09!


    Por Jean Pierre Teixeira Costa • 23 de setembro de 2021
    tempo de leitura do artigo: 16 minutos

    Vamos ao CryptoInforme do dia 23/09!


    CENÁRIO GLOBAL

    Giro pelas bolsas americanas

    O S&P 500 fechou em alta na quinta-feira, com o mercado mais amplo continuando a recuperar terreno com as perdas no início desta semana, sustentado por energia e finanças.

    Assim, o S&P 500 subiu +1,2%, o Dow Jones Industrial Average subiu +1,5%, ou 506 pontos, o Nasdaq subiu +1,0%.

    Dessa forma, disse Tyler Ellegard, analista de investimentos da Gradient Investments:

    “A reação positiva nos mercados sugere que os investidores estão mais confortáveis ​​com a possibilidade de redução gradual do FED.

    O Fed está comprando 120 bilhões de dólares em títulos por mês e seu balanço patrimonial explodiu … uma redução mensal de 15 bilhões de dólares não terá um efeito tão grande.”

    O Federal Reserve sinalizou que começaria a reduzir seu programa de compra de títulos em sua próxima reunião em novembro – caso o progresso econômico continue – e espera concluir a redução em meados de 2022.

    Outras ações

    As ações da Cyclicals lideraram o movimento geral de alta, à medida que as preocupações dos investidores diminuíram sobre um golpe liderado pela China para a economia global do possível colapso da gigante imobiliária Evergrande.

    Além disso, em uma medida que tranquilizou os investidores de que Pequim tentaria limitar o impacto da queda potencial de Evergrande, o banco central da China injetou mais 120 bilhões de yuans de liquidez no sistema bancário durante a noite de quinta-feira.

    Por outro lado, o setor financeiro foi impulsionado pelas ações dos bancos, sustentadas pelo aumento dos rendimentos do Tesouro – seguindo o sinal do Fed para uma redução gradual em novembro – com o rendimento de 10 anos se aproximando de 1,4%.

    Zions Bancorporation (NASDAQ: ZION ), SVB Financial (NASDAQ: SIVB ) e Lincoln National (NYSE: LNC ) lideraram o setor financeiro.

    Taxas de juros mais altas aumentam o retorno sobre os juros que os bancos obtêm com seus produtos de empréstimo, ou margem de juros líquida – a diferença entre a receita de juros gerada pelos bancos e o valor dos juros pagos aos depositantes.

    Assim, na tecnologia megacap, a Apple (NASDAQ: AAPL ) aumentou os ganhos recentes à medida que os investidores comentavam sobre a perspectiva de melhores vendas do iPhone.  

    Além disso, Wedbush disse em nota:

    “Com base na avaliação da atividade de pré-encomenda em todo o mundo para seu predecessor iPhone 12, acreditamos que as pré-encomendas do iPhone 13 estão atualmente rodando 20% antes do lançamento da Apple no ano passado, um início impressionante para este último ciclo de atualização de Cupertino”. 

    Seguro desemprego

    Na frente econômica, os pedidos de seguro-desemprego semanais aumentaram inesperadamente em 16.000, perdendo as expectativas de um declínio de 15.000. 

    O economista sugeriu que a fraqueza estava relacionada às interrupções do furacão Ida. 

    Dessa forma, disse a Pantheon Macroeconomics em nota:

    “As reclamações foram impulsionadas por uma combinação de sazonais relativamente hostis e, acreditamos, reclamações desencadeadas pelo furacão Ida, mas atrasadas até depois que o caos diminuiu”.

    Em contrapartida, o forte dia de ganhos em Wall Street seguiu-se a uma queda no início desta semana, que foi uma oportunidade de compra, já que os mercados devem subir mais apoiados por uma boa quantidade de dólares de investidores nas linhas laterais.

    Nesse sentido, Ellegard disse:

    “Existem cerca de 3 USD a 4 trilhões de dólares nas contas do mercado financeiro, então qualquer tipo de correção que recebermos – seja 3%, 4% ou 5% – esse dinheiro será colocado de volta no trabalho.

    Acho que é isso que está segurando o mercado.”

    Giro pelas bolsas europeias

    As bolsas europeias subiram pelo terceiro dia consecutivo nesta quinta-feira, refletindo melhora do sentimento global devido ao alívio de preocupações sobre a endividada China Evergrande, enquanto comentários do Banco da Inglaterra mantiveram as ações de Londres sob pressão.

    Além disso, o índice FTSEurofirst 300 subiu 0,91%, a 1.803 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,93%, a 468 pontos, a caminho de terminar a semana com ganhos sólidos após uma forte liquidação na segunda-feira.

    Os bancos europeus subiram 2,2%, liderando os ganhos.

    Do mesmo modo, o índice FTSE 100, do Reino Unido, ficou atrás de outros índices regionais depois que o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) disse que argumentos a favor de juros mais altos “parecem ter se fortalecido”, elevando também suas previsões de inflação para o ano.

    Além disso, disse Chris Beauchamp, analista-chefe de mercado da IG:

    “A reunião do BoE de hoje produziu poucas mudanças concretas, e ainda acredita que os aumentos de preços serão moderados no próximo ano, essencialmente um reconhecimento de que mesmo se eles aumentassem os juros não faria muito no momento para desacelerar a alta dos preços”.

    A China Evergrande Group (HK:3333) fechou em disparada de 17% nos mercados de Hong Kong, após seu presidente tentar tranquilizar os investidores depois que uma unidade da empresa disse que havia “resolvido” o pagamento de cupom de um título.

    No entanto, as ações da incorporadora listadas em Frankfurt despencaram -20,1%.

    Do mesmo modo, em Londres, o índice Financial Times recuou -0,07%, a 7.078,35 pontos.

    Contudo, em Frankfurt, o índice DAX subiu +0,88%, a 15.643,97 pontos.

    Por fim, em Paris, o índice CAC-40 ganhou 0,98%, a 6.701,98 pontos.

    As commodities

    Petróleo sobre mais de 1%

    Os preços do petróleo subiram mais de 1% na quinta-feira em resposta aos dados de estoques do pregão anterior, que indicaram um consumo maior que o esperado nos estoques dos EUA.

    Dessa forma, os sinais de um mercado spot apertado nos Estados Unidos desde o início da temporada mais fria do outono no hemisfério norte também ajudaram a demanda.

    Nesse sentido, o petróleo WTI, negociado em Nova York e referência de preço nos EUA, fechou em alta de 1,07 USD ou +1,5%, a 73,30 USD por barril.

    O Brent, negociado em Londres e referência global para o petróleo, fechou em alta de 1,06 USD, ou +1,4%, a 77,25 USD, seu nível de fechamento mais alto desde outubro de 2018.

    Os preços se recuperaram em linha com a maioria dos ativos de risco, depois de o Federal Reserve afirmar na quarta-feira que não iniciaria imediatamente a redução de suas compras mensais de títulos.

    Embora sua perspectiva para o próximo ano tenha se tornado mais agressiva, com um número maior de dirigentes assumindo a posição de que será necessário aumentar as taxas de juro já no ano que vem.

    O sentimento também teve o apoio da falta de notícias sobre as turbulências da incorporadora imobiliária chinesa Evergrande (OTC:EGRNY), e se a empresa efetuaria o pagamento de 83 milhões de dólares em juros sobre uma dívida em dólares.

    Os Futuros do Ouro

    Os preços do ouro caíram abaixo de 1.750 USD por onça na quinta-feira, arruinados pelos rendimentos dos títulos dos EUA depois que o Federal Reserve anunciou que provavelmente irá encerrar seu pacote de estímulo econômico em função da pandemia até meados de 2022, embarcando em uma elevação das taxas de juros ao fim do ano que vem.

    Assim, o contrato mais ativo dos futuros de ouro dos EUA para dezembro fechou em queda de 29 USD, ou -1,6%, a 1.749,80 USD por onça na Comex de Nova York, após uma mínima no pregão de 1.745,95 USD.

    Nesse sentido, disse Craig Erlam, analista da plataforma de negociação online OANDA:

    “Não foram os melhores dias para o ouro, já que os planos de tapering do Fed e de talvez aumentar os juros no ano que vem não são exatamente benéficos para um rali forte no metal dourado. 

    Ele estava numa sequência razoável no início da reunião (do FED), mas cedeu rapidamente ao redor dos 1.780 USD – (seu) suporte anterior – antes de voltar a cair.

    A perspectiva de curto prazo não é boa, com os próximos testes vindo em torno dos 1.740 USD e 1.700 USD “.

    Além disso, na conclusão da reunião mensal de política monetária do banco central, o presidente do Fed, Jay Powell, repetiu o seu mantra de que a inflação apresentava tendência acima da meta do FED de 2% ao ano, devido aos custos mais elevados de se fazer negócios numa economia com restrições pandêmicas.

    Por fim, o mercado tem demonstrado de forma consistente que tem pouca fé na capacidade do Fed em conter a inflação, o que tem enviado os rendimentos dos títulos a valores máximos em vários anos desde o fim de 2020 como reflexo dessa descrença. 

    Os Futuros do Gás Natural

    Na Bolsa de Nova York, os Futuros do Gás Natural com vencimento em outubro foram negociados a 5,022 por milhões de unidades térmicas Britânicas, até o momento de fechamento deste CryptoInforme, alta de + 4,52%.

    Desse modo, o Gás Natural estava propenso a encontrar suporte em 4,735 USD e resistência em 5,394 USD.

    O Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou perdas -0,46% para negociação a 93,032 USD.

    Em outra parte da Nymex, o Petróleo para entrega em novembro registrou ganhos +1,11% para negociação a 73,03 USD por barril.

    Enquanto isso, o óleo para entrega em outubro registrou ganhos +1,36% para negociação a 2,2416 USD por galão.

    Os Futuros do Carvão metalúrgico atinge máxima de 2 semanas com temores sobre oferta na China

    Os contratos futuros de carvão metalúrgico da China dispararam para uma máxima de duas semanas com o ressurgimento das preocupações com a oferta, elevando os preços da importante matéria-prima da siderurgia.

    Nesse sentido, o carvão metalúrgico mais negociado de janeiro na Bolsa de de Dalian, subiu até +7,7%, para 3.044 iuanes (470,62 dólares) a tonelada, seu maior valor desde 10 de setembro. 

    Por outro lado, o coque avançou +4,1%, para 3.482 iuanes por tonelada.

    Em seguida, os contratos futuros do minério de ferro chinês ampliaram os ganhos, após algumas notícias positivas sobre o grupo chinês Evergrande.

    Dessa forma, o minério de ferro com vencimento em janeiro fechou em alta de 3,9%, a 667 iuanes por tonelada, depois de atingir 685,50 iuanes, o mais alto desde 16 de setembro. 

    Por fim, o vergalhão subiu +1,3% na Bolsa de Futuros de Xangai, enquanto a bobina laminada a quente caiu -0,8%. O aço inoxidável avançou +1%.

    AgResource vê alta de 8% para soja 2021/22 do Brasil e recorde de 143,7 milhões de toneladas

    A produção brasileira de soja deve atingir 143,69 milhões de toneladas na safra 2021/22, estimou nesta quinta-feira a consultoria AgResource Brasil, indicando em sua primeira projeção para a temporada uma alta de 8% ante o ciclo anterior.

    A área de plantio, cuja semeadura foi iniciada neste mês, está estimada em 39,88 milhões de hectares, 3,7% maior que o registrado na última temporada.

    O volume projetado aponta para um novo recorde, em linha com demais perspectivas do mercado, mas um ponto de alerta vai para as condições mais secas em regiões importantes para a produção, como o Paraná, disse o diretor da consultoria Raphael Mandarino.

    Dessa forma, afirmou ele.

    “Estamos muito preocupados com o que vem aparecendo no Paraná. Está sem chuvas há 8 a 10 dias em determinadas áreas, principalmente no oeste”.

    O executivo disse ainda que este cenário será acompanhado de perto e os números podem mudar à medida que os efeitos do fenômeno climático La Niña se consolidam.

    Milho

    A consultoria também fez suas primeiras estimativas para o milho, indicando produção nacional de 113,99 milhões de toneladas, ante 83,58 milhões na safra anterior, que foi afetada por graves problemas climáticos com seca e geadas.

    Assim, a área de milho deve crescer 3,5% para 20,52 milhões de hectares.

    CENÁRIO NACIONAL

    Arrecadação federal em abril bateu recorde para meses de agosto

    Impulsionada pela recuperação da economia e por recolhimentos atípicos de algumas grandes empresas, a arrecadação federal em abril bateu recorde para meses de agosto.

    Segundo dados divulgados hoje (23) pela Receita Federal, o governo arrecadou 146,463 bilhões de reais no mês passado, com aumento de 7,25% acima da inflação em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

    O valor é o maior da história para meses de agosto desde o início da série histórica da Receita Federal, em 1995, em valores corrigidos pela inflação. 

    Nos oito primeiros meses do ano, a arrecadação federal soma 1,199 trilhão de reais, com alta de +23,53% acima da inflação pelo IPCA, também recorde para o período.

    A arrecadação superou as previsões das instituições financeiras.

    No relatório Prisma Fiscal, pesquisa divulgada pelo Ministério da Economia, os analistas de mercado estimavam que o valor arrecadado ficaria em 134,184 bilhões de reais em agosto, pelo critério da mediana (valor central em torno dos quais um dado oscila).

    Desaceleração

    Apesar do recorde em agosto, o crescimento da arrecadação sobre o mesmo mês do ano anterior está se desacelerando.

    Com a amenização das medidas de distanciamento social e de restrições a atividades econômicas em agosto do ano passado, a produção e o consumo passaram a subir em relação aos primeiros meses da pandemia de covid-19. Isso aumenta a base de comparação, diminuindo a alta da arrecadação em relação a agosto de 2020.

    Além disso, também em agosto do ano passado, começaram a deixar de vigorar o adiamento de diversos tributos suspensos no início da pandemia, como as cotas do Simples Nacional e das contribuições patronais para a Previdência Social.

    Dessa forma, o pagamento de tributos diferidos (adiados) caiu de 17,1 bilhões de reais em agosto do ano passado, para 5 bilhões de reais em agosto deste ano.

    Recolhimentos atípicos

    Também influiu na alta da arrecadação o recolhimento atípico (que não se repetirá em outros anos) de cerca de 5 bilhões de reais em agosto em Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e em Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) por grandes empresas ligadas à exportação de commodities (bens primários com cotação internacional). 

    Nos oito primeiros meses do ano, os recolhimentos atípicos somam 29 bilhões de reais, contra apenas 2,8 bilhões de reais no mesmo período de 2020.

    Ao longo de 2021, esses recolhimentos fora de época têm impulsionado a arrecadação por causa de empresas que registraram lucros maiores que o previsto e tiveram de pagar a diferença.

    Dessa forma, por causa do sigilo fiscal, a Receita não pode informar o nome e a atividade dessas grandes companhias. As compensações tributárias, quando um contribuinte pede abatimento ou desconto em tributos a pagar, caíram 6,2 bilhões de reais em agosto, impulsionando a arrecadação.

    A redução a zero da alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que vigorou até o fim do ano passado, também aumentou a arrecadação em 2,35 bilhões de reais em agosto de 2021.

    De abril a dezembro do ano passado, o IOF sobre operações de crédito foi zerado para baratear as linhas de crédito emergenciais concedidas durante a pandemia.

    Tributos

    Na divisão por tributos, as maiores altas em agosto – em relação ao mesmo mês de 2020 – foram registradas na arrecadação do IRPJ e da CSLL, alta de 7,56 bilhões de reais (41,75%) acima da inflação pelo IPCA, impulsionados pelo recolhimento atípico de grandes empresas.

    Em seguida vem o IOF, com crescimento de 3,42 bilhões de reais (342,91%) acima da inflação, por causa do fim da isenção que vigorou em 2020.

    Em terceiro lugar, está o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), decorrente da recuperação do emprego.

    No entanto, outros tributos apresentaram queda.

    A arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), caiu 7,91%, descontada a inflação, e a arrecadação da Previdência Social recuou 11,27%.

    Dessa forma, atrelados ao faturamento, o PIS e a Cofins medem o consumo. A arrecadação da Previdência mede o emprego formal.

    No entanto, a desaceleração nesses dois indicadores nos últimos meses não explica totalmente a queda em agosto. Isso porque, no mesmo mês do ano passado, acabaram diversas suspensões ligadas a esses tributos, que vigoraram para ajudar empresas afetadas pela pandemia. 

    Assim, como esses pagamentos foram recolhidos em dobro ao longo do segundo semestre do ano passado, a base de comparação foi afetada.

    Indicadores Econômicos

    Fonte: CryptoInforme

    GIRO NO MUNDO CRYPTO

    No cenário cripto, o mercado segue se recuperando em valor total de mercado registrando nas últimas 24 horas uma valorização de aproximadamente +2,80%, ate o fechamento deste CryptoInforme.

    Com isso o valor total retoma os 2 trilhões de dólares, marca importante para o mercado das criptomoedas.

    Bitcoin (BTC) – Marketcap Total.
    Fonte: CryptoInforme

    No que se refere à dominância do mercado, o Bitcoin (BTC) opera há dias na mesma região de dominância, se mantendo acima das mínimas registradas nos últimos 20 dias.

    Bitcoin (BTC) – Dominância.
    Fonte: CryptoInforme

    Com isso a recuperação tímida de hoje de +0,28%, leva o principal ativo a ocupar 41,56% do mercado total.

    Por fim, destacamos as seguintes criptomoedas que se destacaram nas últimas 24 horas.

    • Near Protocol (NEAR) +23,68%:
    Near Protocol (NEAR) – Price Action.
    Fonte: CryptoInforme

    • Harmony (ONE) +14,06%:
    Harmony (ONE) – Price Action.
    Fonte: CryptoInforme

    • THORChain (RUNE) +13,20%:
    THORChain (RUNE) – Price Action.
    Fonte: CryptoInforme

    • Curve DAO Token (CRV) +13,03%:
    Curve DAO Token (CRV) – Price Action.
    Fonte: CryptoInforme

    • Tezos (XTZ) +12,77%:
    Tezos (XTZ) – Price Action.
    Fonte: CryptoInforme

    Cenário Técnico

    No cenário técnico, o Bitcoin (BTC) operou de forma positiva nesta quinta-feira com um ganho de +3% no seu preço e fechou o dia valendo 44.903 USD.

    Com isso, o ativo operou em recuperação logo em sequência mostrando uma preocupação do mercado em manter o ativo acima da região dos 40.000 USD.

    Com isso, as atenções se voltam para a sequência do movimento que pode buscar nos próximos dias a resistência da linha lateral de baixa que iniciou sua formação em abril com a grande correção daquele período.

    Dito isto, a resistência citada poderá ser enfrentada na região entre os 47.000 USD e os 48.000 USD.

    Diante do atual cenário com o retorno da volatilidade dentro do ativo, o momento de cautela torna-se necessário.

    Reitera-se a importância em se evitar posições com altas alavancagens visto que o atual momento é de risco para essa modalidade.

    Assim, em referência ao gerenciamento de riscos para as operações, é importante respeitar o momento de cautela para as operações e a utilização das ferramentas de proteção para as posições, tais como os stops, para que com o retorno da grande volatilidade não haja agressão ao patrimônio empregado nas operações.

    Bitcoin (BTC) – Price Action 1.
    Fonte: CryptoInforme
    Bitcoin (BTC) – Price Action 2.
    Fonte: CryptoInforme
    Bitcoin (BTC) – Price Action 3.
    Fonte: CryptoInforme


    Reportagem de Jean Pierre Teixeira Costa e reportagem adicional de Ana Flávia Santana Saraiva.


    Acompanhe o CryptoInforme diariamente e fique por dentro das principais notícias!

    Curta a página da CryptoRadar no Instagram, Facebook e Twitter interaja conosco.


    OBSERVAÇÃO:  O informativo CryptoInforme do dia 23/09 não é aconselhamento financeiro, legal e nem indicativo de compra e venda de qualquer ativo. As decisões de como investir devem ser pessoais e com base em seus estudos e pesquisas sobre o mercado financeiro. 

  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.