• Análise Técnica

    Bitcoin

    Índice de medo e ganância atinge o menor patamar desde março de 2020


    Por Ana Flávia Santana Saraiva Saraiva • 17 de maio de 2022
    tempo de leitura do artigo: 3 minutos


    Índice de medo e ganância atinge o menor patamar desde março de 2020

    A última vez que vimos este cenário foi após o crash da pandemia COVID-19.

    O Bitcoin voltou a US$ 30.500 em 17 de maio, em meio a esperanças de um fim do possível bear market.

    Gráfico de velas de 1 hora BTC/USD (Bitstamp). 
    Fonte: TradingView

    Novo teste de US$ 20.000 é ‘altamente improvável

    Nesse sentido, dados do TradingView mostraram que o par BTC/USD subiu após o fechamento diário de construir provisoriamente em US$ 30.000.

    Ainda assim, em um intervalo de vários dias, o par ainda não decidiu sobre uma trajetória significativa de alta ou baixa, enquanto a volatilidade diminuiu na nova semana.

    Além disso, há preocupação de que uma grande retração poderia levá-lo abaixo das mínimas de dez meses da semana passada.

    Dessa forma, o analista Credible Crypto ofereceu uma alternativa mais otimista. Com base em normas históricas, ele argumentou no Twitter, que o Bitcoin tinha pouco ímpeto para testar novamente US$ 20.000 ou menos.

    “O argumento para US$13.000-US$14.000 na premissa de que os principais mercados de baixa do passado levaram a quedas de 80% do topo faz uma suposição importante – que US$65.000 foi o topo do ciclo.

    É a mesma suposição que as pessoas fizeram de US$30.000 em junho de 21 antes de chegarmos a um novo ATH de US$65.000, 3 meses depois.”

    Fonte: Twitter

    Paralelo a isso, questionado se o par BTC/USD poderia repetir a retração de suas máximas de 2019 perto de US$ 14.000 para US$ 3.600 durante o crash do COVID-19 em março de 2020, a Credible Crypto foi igualmente cética:

    “Não esperava isso. É possível? Sim, mas como eu disse anteriormente, um novo teste de máximos de ciclos anteriores nunca aconteceu antes, então acho altamente improvável”.

    Para o colaborador do Cointelegraph, Michaël van de Poppe, era uma questão de o dólar dos Estados Unidos esfriar sua corrida de alta em relação a outras moedas fiduciárias, a fim de dar aos ativos de risco algum espaço para respirar.

    O índice do dólar americano (DXY), ele previu, deve cair de suas máximas de 20 anos de 105 pontos.

    Gráfico de velas de 1 dia do índice do dólar americano (DXY). 
    Fonte: TradingView

    Nessa linha, complementou ele:

    “Se eu olhar para o estado atual do $DXY, acho que seguiremos com esse cenário.

    Assim, assumindo que veremos algum movimento corretivo, os máximos foram varridos por liquidez. Perdendo 103,7 pontos e acho que teremos mais pressão para baixo e ativos de risco para cima”.

    Fonte: Twitter

    O sentimento ecoa as consequências de março de 2020

    Enquanto isso, os dados de sentimento do mercado refletiram o consenso da maioria em criptomoedas – que qualquer coisa poderia acontecer agora, com viés firmemente inclinado para o lado negativo.

    Dessa forma, o Crypto Fear & Greed Index , um indicador de sentimento de mercado cruzado, atingiu 8/100 em 17 de maio, seu valor mais baixo desde 28 de março de 2020 – duas semanas após o colapso induzido pelo bloqueio do Coronavírus.

    Então, como agora, o BTC/USD já estava se recuperando de suas baixas. 

    Índice Crypto Fear & Greed. 
    Fonte: Alternative.me

    Acompanhe análise técnica do BTC feita pelo time da CryptoRadar. Acesse aqui!

    Índice de medo e ganância atinge o menor patamar desde março de 2020

    Fonte: https://cointelegraph.com/news/fear-greed-index-hits-lowest-since-march-2020-even-as-bitcoin-price-hits-30-5k (com adaptações)


    ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE
    Os pontos de vista e opiniões expressos pela CryptoRadar ou qualquer pessoa mencionada neste artigo, são apenas para fins informativos e não constituem aconselhamento financeiro, de investimento ou outros afins. Investir ou negociar criptoativos traz um risco de perda financeira.



  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.