• Criptoativos

    Bitcoin

    Bitcoin como moeda de curso legal uma conquista ou uma ameaça?


    Por Placido Curvo Netto • 23 de setembro de 2021
    tempo de leitura do artigo: 8 minutos

    Dentre muitas inovações ocorridas no mercado de criptoativos ultimamente uma das mais relevantes, na minha opinião, foi o início da adoção do Bitcoin como moeda de curso legal pelo governo de El Salvador. Mas bitcoin como moeda de curso legal é uma conquista ou uma ameaça?

    Que longo caminho percorremos! Primeiro tínhamos que convencer as pessoas em rodas de conversa que o Bitcoin não era uma pirâmide ou golpe. Quem defendia o ativo era motivo de gozação e virava assunto de piada. Agora um país soberano dá o seu selo de qualidade para a maior criptomoeda que está em torno de USD 40k porque caiu! É um alento e um bom tempo para se estar vivo. Sem dúvida uma conquista para todos que acreditaram antes de todos.

    Cada vez mais os criptoativos se consolidam como uma classe de ativo viável, levado a sério pela economia tradicional com formação de fundos operados em bolsa (ETFs) em países como Canadá, Alemanha e até mesmo no Brasil.

    No Brasil você consegue ter exposição ao Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) via os fundos da Hashdex.

    Bitcoin como moeda de curso legal. Uma conquista ou uma ameaça?

    Enfim, como um marco de consolidação de todo o desenvolvimento cripto, em junho passado, o congresso de El Salvador aprovou a proposta do presidente Nayib Bukele, de tornar o Bitcoin uma das moedas oficiais do país, juntamente com o dólar americano.

    E no dia 07 de setembro, coincidência do grito de independência, a lei entrou em vigor e todos os comerciantes e qualquer transação deverá aceitar Bitcoin (BTC) como meio de pagamento.

    Assim, uma das justificativas para essa ação do presidente Nayib Bukele é que os cidadãos salvadorenhos que vivem fora do país, terão uma melhor forma de enviar dinheiro aos seus familiares. Estima-se que o mercado de emissão de moedas em El Salvador seja de USD 6 Bilhões ao ano, com fees muito altas para realizar esse serviço.

    Nesse sentido, as gigantes especializadas em emissão de recursos como Western Union e Moneygram poderão perder até USD 400 Milhões de receita caso a carteira oficial do governo Chivo for mais utilizada pelos cidadãos.

    Assim, em um efeito Robin Hood esses USD 400 Milhões, em tese, ficarão na mão dos salvadorenhos.

    Para se ter uma idéia cerca de 50% da receita dos salvadorenhos vêm da emissão de recursos de quem vive fora do país e 70% da população recebe dinheiro de familiares expatriados. Assim, a fee média que se cobra para cada transação gira em torno de 10% que as famílias deixam de receber quando usam esses serviços. Com o Bitcoin na carteira Chivo esses custos se tornam centavos.

    El Salvador transforma o Bitcoin em moeda de curso legal.
    El Salvador adota o Bitcoin como moeda oficial. Fonte da imagem: https://coinquora.com/wp-content/uploads/2021/06/El-Salvador-Could-Make-Bitcoin-a-Legal-Tender.jpg

    Publicidade Oficial

    O governo de Nayib Bukele está levando bem a sério o processo de adoção do Bitcoin e para isso criou uma carteira estatal de Bitcoin chamado Chivo , que significa legal ou maneiro, com direito a propaganda na TV e tudo mais.

    Além disso, os cidadãos que fizerem download da carteira ganharão USD 30,00 como depósito governamental de estímulo para o uso na nova tecnologia.

    Forçar o uso de uma moeda é legal?

    Ok mas o que isso na verdade significa? Moeda de curso legal ou forçado é a característica que o estado dá à moeda que obriga (força) o seu uso dentro da economia. Todo comerciante, todo prestador de serviço, enfim todos os agentes econômicos são obrigados a aceitar a moeda nas transações.

    Isso de certo modo tira a liberdade das pessoas de poderem escolher como querem pagar por seus bens e serviços. Já que por lei tem que aceitar a moeda de curso forçado. Esse conceito fere um dos pilares filosóficos do Bitcoin que é o da liberdade financeira. Por um lado é excelente esse movimento para a adoção do Bitcoin em um país soberano. Por outro lado obrigar a sua aceitação é passível de crítica.

    Nesse sentido, nem todos os cidadãos salvadorenhos concordam com a nova adoção do Bitcoin. Protestos organizados pela oposição queimaram caixas eletrônicos da rede do Chivo. Manifestantes foram vistos com cartazes se recusando a aceitar salários e pensões em Bitcoin. Isso fez o governo desmentir a informação e esclarecer que salários e pensões serão pagos em dólares.

    Além disso, a volatilidade do Bitcoin se mostra também como um dificultador do seu uso como moeda, o que assusta as pessoas comuns a usarem o ativo. Todavia, ter a oportunidade de converter os seus recursos fiduciários (dólares) em um ativo mais sólido como o Bitcoin com o aval do estado é uma oportunidade única que os salvadorenhos terão.

    Atrair Cripto milionários

    Analistas dizem que a movimentação de Bukele pode ser, na verdade, apresentar ao mundo El Salvador como um Porto Seguro para quem tem criptoativos. Isso sem dúvida irá atrair os cripto milionários e bilionários mundo afora a considerar El Salvador como sede de seus negócios e investimentos. Atraindo assim, recursos necessários para o completo desenvolvimento do país emergente.

    Além disso, o presidente inclusive mostrou interesse em montar operações de mineração de criptomoedas utilizando energia limpa geo termal em vulcões salvadorenhos.

    Mineração de Bitcoin (BTC) utilizando energia geo termal de vulcões

    Riscos para o Dólar

    Por outro lado, analistas apontam que o movimento de Bukele em direção ao Bitcoin (BTC) deixa as economias globais em atenção. Já que se muitos outros países adotarem o BTC como moeda oficial o padrão dólar poderá ser enfraquecido no longo prazo.

    Nesse sentido, o FMI foi contra a adoção de criptomoedas como curso legal. Citando riscos à estabilidade macroeconômica, integridade financeira, proteção ao consumidor e ao meio ambiente. Na linha que a mineração do Bitcoin (BTC) consome muita energia.

    O Banco Mundial também negou auxílio à El Salvador para orientar o país em como melhor implementar o Bitcoin. Dando sinais claros que não concorda com essa movimentação.

    Além disso, a instiuição de análise de risco Moody’s fez um downgrade no risco dos títulos de El Salvador para a região de títulos podres.

    Todas essas movimentações podem ser vistas como uma reação da economia tradicional com medo que outros países sigam o mesmo caminho de El Salvador e adotem as criptomoedas de maneira integral. Dando o carimbo de qualidade de nações soberanas às criptos.

    Assim, uma fuga do modelo macroeconômico baseado em dinheiro fiduciário e inflacionário para o modelo deflacionário do Bitcoin traz o benefício para o cidadão de não ter o seu poder de compra delapidado pela inflação.

    Mas, nesse cenário, os estados poderosos perdem a hegemonia do controle da política monetária. E, isso não deve ser algo facilmente aceito e deveremos ter reações negativas. Isso, sem dúvida, apresenta risco para o futuro das criptomoedas. Por isso se pergunta. Bitcoin como moeda de curso legal uma conquista ou uma ameaça?

    Vale a pena provocarmos as nações poderosas contra as cripto?

    Snowden avisa que a competição começou e as nações que chegarem primeiro terão vantagem

    O famoso Edcard Snowden que abriu ao mundo como a CIA operava com dados sensíveis de cidadãos mundo afora. Disse que com o ponta pé inicial de El Salvador começou uma competição entre as nações pelo uso de criptomoedas.

    Ele afirma que a maneira que o Bitcoin (BTC) foi projetado ele recompensa quem o adota na frente de todos. Ele aconselha as nações adotar o Bitcoin (BTC) o quanto antes nem que seja como uma reserva de valor.

    Snowden sempre se mostrou favorável ao uso de maneira ampla do Bitcoin (BTC) pelo mundo afora. Alinhado às suas posições libertárias que sempre defendeu.

    Bitcoin como moeda de curso legal. Uma conquista ou uma ameaça?

    Então, Bitcoin como moeda de curso legal uma conquista ou uma ameaça? Por tudo que foi dito creio que El Salvador colherá bons frutos com essa iniciativa.

    Claro que terá que enfrentar os riscos de se posicionar contra o modelo macroeconômico mundial. Todavia, os cidadãos estão cada vez mais conscientes de como a inflação é destruidora do poder de compra e entendem que os criptoativos são uma boa proteção contra isso.

    Sempre terão pessoas contra os criptoativos e não poderia ser diferente em El Salvador. Mas, com a devida educação da população as dúvidas em torno do assunto deverão serclareados e mais e mais adeptos usarão o Bitcoin (BTC) e demais criptoativos. E, com isso, poderão desfrutar de uma soberania financeira jamais vista.

    Nesse sentido, cidadãos de todas as classes sociais terão acesso a serviços financeiros sofisticados sem ter que abrir uma conta bancária e enfrentar toda a burocracia que isso exige. Só terão que ter um celular e uma conexão à internet.

    Por outro lado, a minha única crítica é de querer obrigar as pessoas a usar Bitcoin (BTC) o seu uso deve ser opcional e voluntário no melhor sentido de liberdade econômica que as criptomoedas representam.

    Bitcoin abre o mundo para uma nova era de finanças

    É isso! O Bitocin (BTC) chegou à sua maturidade vivemos para ver uma moeda criada por cidadãos comuns se tornarem moeda oficial de um estado soberano.

    Bem-vindo povo de El Salvador ao novo mundo de finanças descentralizados (Defi). De serviços financeiros comuns sem ter que participar do sistema bancário. De ter controle total sobre seus ativos sem ninguém poder interferir na sua liberdade de usar o seu dinheiro da maneira que quiser. Isso é o Bitcoin (BTC) lhe proporciona. Bom proveito!

    Qual será o próximo país a adotar o Bitcoin (BTC) como moeda oficial? Quais os efeitos que você acha que isso provocará no mundo? Comente!!

    Curta a página da CryptoRadar no Instagram, Facebook e Twitter interaja conosco.

  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.