• Criptoativos

    Bitcoin

    FMI Reconhece que Bitcoin é Parte da Nova Revolução Digital


    Por Placido Curvo Netto • 6 de junho de 2018
    tempo de leitura do artigo: 2 minutos

    No início de junho o Diretor do Setor de Estratégias, Políticas e Revisão do Fundo Monetário Internacional (FMI), o Sr. Martin Muhleisen, publicou um artigo sobre os impactos da revolução digital no mundo.

    Ele discute sobre o poder das tecnologias de aplicação geral que tem grande poder disruptivo e que estimula a produtividade por todos os setores e indústrias. Na história tivemos 3 grandes tecnologias de aplicação geral que são:

    1. Motor a vapor
    2. Gerador de eletricidade
    3. Prensa mecânica

    Ele cita que é normal que as indústrias presentes no momento da chegada das tecnologias de aplicação geral resistam às forças disruptivas que os novos conceitos trazem, claro sem sucesso.

    Todavia, antes que a sociedade possa se “adaptar” à nova tecnologia, esta deve ser amplamente aceita, o que leva tempo. Nesses períodos de preparação à adaptação, muito tempo e energia são dedicados, sendo que os benefícios só serão conquistados no longo prazo.

    Consequentemente, muitos benefícios vem não só da adoção da nova tecnologia, mas da adaptação que a nova tecnologia provoca.

    Muhleisen continua:

    Mas não se engane, a revolução digital está em pleno curso, não só mudando trabalho e habilidades, está também modificando indústrias como o varejo, serviços editoriais e talvez, em um futuro não muito distante, serviços bancários e de frete.

    O Sr. Muhleisen, alerta que as criptomoedas, tem criado dificuldades para os esforços contra a lavagem de dinheiro e outras atividades ilegais. Todavia, ele aponta inúmeras vantagens tais como:

    A tecnologia por trás dessas moedas, a blockchain, irá muito certamente, revolucionar o sistema financeiro, fazendo as transações serem mais rápidas e seguras, enquanto mais informações sobre clientes em potencial irá melhorar a precificação de empréstimos, já que haverá uma melhor classificação da capacidade de pagamento desses clientes.

    Em outro trecho ele cita sobre a impossibilidade de se impedir que as mudanças dessa revolução digital ocorram.

    Uma coisa é certa: não tem como voltar atrás agora. A tecnologia digital vai se espalhar cada vez mais, e esforços para ignorá-la ou legislar contra ela provavelmente falharam.

    O autor do artigo reconhece que toda mudança acaba provocando danos colaterais sociais e que se deve focar em políticas que respondam às mudanças organizacionais que são/serão causados pela revolução digital.

    Ele aponta que instituições multilateriais como o Banco Mundial e o FMI, tem um papel importante como fórum de discussões de cooperação global, para a definição de políticas de como mitigar possíveis problemas causados pela revolução digital, ao mesmo tempo que possibilite a otimização dos seus benefícios.

    Na sua conclusão, ele aponta que, com boas políticas e o desejo de cooperação internacional, nós podemos e devemos aproveitar essas tecnologias excitantes para melhorar o bem-estar sem diminuir a energia e o entusiasmo da era digital.

    Leia a matéria na íntegra, em inglês, acessando este link.

    E você acha que o FMI e demais instituições multilaterais tem importante papel na definição de políticas para o uso de tecnologias disruptivas como o bitcoin? Comente abaixo!


    Nos siga nas redes sociais! Facebook e Twitter.


    Quer ser colaborador da CryptoRadar? Entre em contato conosco.


  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.