Esclarecendo Equívocos: Como o Tether Deve e Funciona de Fato

0
127
Esclarecendo Equívocos: Como o Tether Deve e Funciona de Fato

Após muito debate sobre o Tether estar ou não manipulando o preço do bitcoin, resolvemos esclarecer alguns equívocos e explicar como o Tether deve e funciona de fato.

Existe uma controvérsia considerável por trás do Tether, a criptomoeda que alega ser lastreada pelo dólar americano. De acordo com o Tether, cada token é lastreado em dólar americano em uma razão de 1:1, mantidos sobre custódia da empresa.

Entretanto, a existência dos dólares norte-americanos atrelados ao Tether está sendo questionada. Além disso, existem preocupações de que a Bitfinex utiliza o Tether para manipular o preço do bitcoin.

Pesquisas sobre o Tether apontam que existem equívocos sobre como o Tether deve e funciona de fato. Esses enganos podem, de certa maneira, estar contribuindo em parte para as controvérsias existentes.

Através de um entendimento mais aprofundado sobre como o Tether funciona, teremos mais clareza sobre o assunto.

Análises sobre o funcionamento do Tether, por exemplo, apontam que não é possível manipular o preço do bitcoin na corretora Bitfinex através do Tether, independente se os tokens são lastreados ou não.

O Tether e a Bitfinex

Diferente das criptomoedas que possuem emissão limitada de unidades, a produção de Tether é ilimitada. De acordo com o whitepaper do Tether, novos tokens podem ser criados a partir da demanda de investidores, após o depósito de dólares norte-americanos ou euros na conta bancária do Tether.

Entretanto, não é mais possível aportar capital no Tether, pois desde dezembro de 2017, novos depósitos foram paralisados. Durante esse período, a quantidade de Tether mais do que dobrou, chegando a 2.5 bilhões de tokens no ato da publicação desta matéria.

Para que o Tether funcione como uma moeda estável, cada token – negociado com dólar norte-americano – precisa ser garantido pela sua contraparte fiduciária. Portanto, o Tether precisa manter uma quantidade de dinheiro fiduciário, equivalente à quantidade de tokens, em sua reserva.


Já ouviu nosso podcast? Visite a página do CryptoTalk e ouça!


Em seu whitepaper, Tether prometeu realizar auditorias regularmente, para provar que detém a quantidade necessária em sua reserva. No entanto, a empresa não realiza uma auditoria completa desde março de 2017.

O Tether publicou uma auditoria e setembro de 2017, mas o documento é um memorando interno produzido por Friedman LLP, o auditor da empresa na época. Nenhuma auditoria adicional é esperada tão cedo, pois o vínculo com a Friedman LLP foi encerrado em janeiro de 2018 e o Tether ainda não firmou vínculo com nenhuma empresa de auditoria.

Documentos mostram que o Tether e a Bitfinex (uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo), são administradas pela mesma equipe. A Bitfinex foi acusada de sustentar o preço do bitcoin através da emissão de tokens de Tether para comprar bitcoin. Toda vez que a carteira de Tether da Bitfinex ficasse vazia, novos tokens de Tether eram emitidos.

O aumento da quantidade de tokens de Tether pode estar, coincidentemente, vinculado ao aumento do preço do bitcoin.

Um relatório publicado anonimamente online em janeiro de 2018, mostrou que o preço do bitcoin subia após horas da emissão de novos tokens de Tether serem emitidos e enviados à Bitfinex.

Bitfinex

O relatório concluiu ainda que é muito improvável que o Tether esteja crescendo de maneira orgânica, e sim que os tokens são emitidos em resposta a movimentos do mercado, para serem usados para comprar bitcoin e assim, aumentando seu preço.

Em um artigo acadêmico publicado em 13 de junho de 2018, John Griffin e Amin Shams, ambos associados à Universidade do Texas, analisaram dados das blockchains do Tether e do Bitcoin, para determinar se tokens de Tether foram emitidos pela demanda do mercado ou se foram forçados no mercado.

O estudo sugere que os tokens de Tether estariam sendo usados para criar um suporte para o bitcoin quando este está em queda, definindo um preço mínimo, e com isso estabilizando o preço da moeda virtual.

Afinal, eles realmente estavam sendo usados dessa forma?

Analisando a Emissão de Tokens de Tether

Sempre que novos tokens de Tether são emitidos, os tokens são enviados à carteira da Bitfinex. O whitepaper do Tether menciona que os tokens podem ser comprados da Bitfinex e que a corretora suporta depósitos e saques  de tokens de Tether.

Além disso, os tokens sempre são emitidos e enviados à carteira da Bitfinex em números inteiros. Por exemplo, a última emissão, em 18 de maio de 2018, foi de exatamente 250.000,000 tokens de Tether.

Essas novas e enormes emissões de tokens, em números inteiros, movimentadas para a Bitfinex, de certa forma, levantaram suspeitas.

Desde que o aporte de novos capitais estão paralisados e todos os tokens emitidos são transferidos para a carteira da Bitfinex, a emissão de números exatos de tokens de Tether torna improvável que as emissões sejam compras diretas de clientes do Tether.

Perguntas, portanto, foram feitas sobre quem poderia estar realmente por trás dessas emissões.

Com base na análise sobre a emissão e a movimentação dos tokens de Tether, a reposta é que, atualmente, existe somente um cliente possível, no sentido de como a palavra “cliente” é usada pelo whitepaper do Tether, a Bitfinex.


Quer investir em criptoativos? Leia “A Bíblia de Como Investir em Criptomoedas“.


Em vez de comprar os tokens diretamente do Tether, usuários da Bitfinex podem comprar tokens de Tether na corretora utilizando o dólar norte-americano. Entretanto, os tokens não podem ser usados para negociar criptomoedas na própria Bitfinex.

A exchange oferece o Tether como uma opção para seus usuários, exclusivamente para retirada. Quando usuários da corretora utilizam o Tether como opção de retirada, eles utilizam seu saldo em dólar norte-americano na Bitfinex para comprar os tokens de Tether.

Consequentemente, retiradas dos tokens de Tether da Bitfinex resulta em uma diminuição no saldo da carteira da corretora.

Ao comprar tokens na Bitfinex, usuários não estão comprando diretamente do Tether, em vez disso, eles estão comprando do estoque que a Bitfinex “comprou” previamente como “cliente” do Tether. A emissão de novos tokens, portanto, ocorre quando a Bitfinex fica sem suprimento de tokens de Tether que podem ser vendidos para seus usuários.

Quando sua carteira de tokens de Tether se esvazia, a corretora compra novos tokens através de depósitos de moedas fiduciárias na conta bancária do Tether. Como resultado, todos os tokens na carteira da Bitfinex são de sua propriedade, e estão disponíveis para usuários realizarem retiradas.

Paolo Ardoino, Chefe de Tecnologia da Bitfinex
Paolo Ardoino, Chefe de Tecnologia da Bitfinex

Paolo Ardoino, Chefe de Tecnologia da Bitfinex, confirmou em uma entrevista que a corretora é um cliente direto do Tether e é, atualmente, a única porta de entrada e saída do token.

De acordo com Ardoino, a Bitfinex e o Tether decidiram pela mudança no final de 2017, para diminuir a pressão sobre os bancos que processam as compras do Tether. Ardoino também disse que o plano da empresa é oferecer mais portas de acesso ao Tether, sugerindo 20 em um futuro próximo.

Para estabelecer essas portas de acesso, o Tether deverá contratar um novo diretor de conformidade para supervisionar o programa de conformidade do Tether, incluindo seus procedimentos de due dilligence para a integração de novos clientes.

Sempre que os tokens de Tether são sacados da Bitfinex, os tokens são transferidos para outras corretoras de criptomoedas que dão suporte ao Tether, como a Binance, Bittrex e Kraken.

Os tokens de Tether nessas corretoras são de propriedade dos usuários daquelas corretoras, e não delas próprias, embora as exchanges recebam alguns tokens por meio de pagamentos de taxas de transações.

Sendo assim, o Tether é uma fonte de liquidez para essas corretoras e a Bitfinex, atualmente, funciona como um meio de acesso. Para essas corretoras, o Tether é somente mais uma criptomoeda que seus usuários transferem para suas plataformas e o negociam.

A Bittrex e a Kraken confirmaram que o Tether é como qualquer outro token em suas plataformas, adicionando que não houve nenhuma taxa envolvida para a listagem do Tether em qualquer uma das exchanges.

Acesso a Bancos Tradicionais

A implicação dos tokens de Tether serem comprados somente pela Bitfinex é que as duas empresas estão mais interligadas do que antigamente, além do fato do Tether e a Bitfinex serem administradas pela mesma equipe, o Tether não poderia funcionar como está atualmente sem os serviço da Bitfinex como sendo uma porta de acesso para depósitos e retiradas de moedas fiduciárias.

Entretanto, para a Bitfinex funcionar como essa porta de acesso, ela precisa de acesso a serviços bancários tradicionais. Em março de 2017, a Wells Fargo encerrou seu relacionamento como banco correspondente da Bitfinex e o Tether.

A corretora manteve os detalhes de seus relacionamentos bancários em segredo desde então, uma falta de transparência que alimentou ainda mais a desconfiança em torno da Bitfinex e do Tether.

Noble Bank LogoEm 24 de maio de 2018, a Bloomberg informou sobre a Bitfinex e o Tether possuírem contas no Noble Bank em Porto Rico. Além disso, a Bloomberg informou que a Bitfinex firmou uma parceria com a instituição financeira Crypto Capital Corp, sediada no Panamá, e usou suas contas bancárias para manter o acesso a depósitos e retiradas de dinheiro fiduciário após ter sua relação encerrada com a Wells Fargo.

A fim de oferecer aos seus usuários possibilidade de negociar criptomoedas utilizando o dólar norte-americano, o acesso ao sistema bancário tradicional é necessário para a Bitfinex.

Ardoino confirmou que todos os saldos e pares de negociação em USD na Bitfinex estão em dólares norte-americanos (USD) em vez de tokens de Tether (USDT), e que os tokens e os dólares estão separados.

Usuários verificados da Bitfinex são creditados com dólares americanos na corretora quando fazem depósitos. Eles podem usar seu saldo em dólares para executar retiradas em Tether. Se assim fazem, eles compram tokens de Tether da Bitfinex.

Quando usuários depositam tokens de Tether na Bitfinex, eles são creditados como se fossem dólares americanos. Cada token de Tether (USDT) é equivalente a 1 dólar (USD). Assim, os usuários verificados, estão resgatando os tokens de Tether, os vendendo de volta para a Bitfinex.

Como o Tether está  somente disponível como uma opção para retirada, e não para negociações, na plataforma da Bitfinex, não é possível portanto, manipular o preço do bitcoin utilizando tokens de Tether na Bitfinex.

Entretanto, essa conclusão não descarta a teoria de que o Tether pode ser utilizado para manipular o preço do bitcoin em qualquer outro lugar. Em seu estudo, mencionado anteriormente, Griffin e Shams analisam como os tokens de Tether são movimentados para outras corretoras e foram utilizados para estabilizar o preço do bitcoin nessas corretoras.

ecossistema do Tether

Preço do Tether

Dado que cada token de Tether é oferecido e creditado como um dólar americano na Bitfinex, porquê o preço do Tether apresenta variações?

Os sites Coinmarketcap e Investing.com oferecem gráficos que mostram a variação do preço do Tether (USDT) em relação ao dólar americano. O site Investing.com informou que o gráfico do “índice de Tether” é baseado nos pares USD/USDT negociados nas corretoras, Kraken e EXMO. O site Coinmarketcap não informou quais dados são utilizados para a criação do seu gráfico.

Entretanto, o preço do Tether não é mantido através desses pares de negociação. O preço do Tether é garantido pela Bitfinex, que oferece cada token de Tether por cada dólar americano.

Enquanto a Bitfinex mantiver a razão de 1:1 entre cada token de Tether e o dólar americano, o preço de cada token de Tether continuará fixado em um dólar americano.

Assim, os pares USDT/USD podem oferecer informações sobre o quanto as pessoas confiam no Tether.

O fato de que a Bitfinex sempre precifica cada token de Tether em um dólar americano, provavelmente explica o porquê os pares  de negociação USDT/USD dificilmente variam muito longe de um dólar americano.

Sempre que o preço de um par negociado cai para menos de 98 centavos de dólar, por exemplo, operadores de arbitragem, verificados na Bitfinex, podem comprar tokens a 98 centavos de dólar e os depositar na corretora, para que sejam creditados um dólar para cada token.

Modelo de Negócios do Tether

Como o Tether cria receita? A receita, neste caso, pode ser definida de duas formas: receita gerada pela Bitfinex e receita gerada pelo Tether.

A função da Bitfinex, de ser uma porta de acesso ao Tether, nos ajuda a entender como o uso do Tether gera receita para a Bitfinex.

Para outras corretoras que dão suporte ao Tether, o token é uma fonte importante de liquidez, pois as corretoras não oferecem acesso direto a depósitos ou retiradas em moeda fiduciária.

De certa maneira, a Bitfinex funciona como uma porta de depósitos e retiradas em moeda fiduciária para essas corretoras, embora, apenas para usuários verificados.

Para comprar tokens de Tether da Bitfinex, usuários precisam ter dólares americanos depositados na plataforma da corretora. Da mesma maneira, a plataforma da corretora é o único local onde detentores de Tether podem trocar seus tokens por dólares americanos.

Para ambos, depósitos e retiradas em dólar americanos, a corretora cobra uma taxa de 0,1 porcento. Para usar os serviços de retirada em tokens de Tether na corretora, usuários pagam uma taxa de 20 dólares, independente da quantidade que será retirado.

Para depósitos de tokens de Tether, por outro lado, nenhuma taxa é cobrada. Portanto, a receita criada dessa maneira é gerada pela Bitfinex, e não pelo próprio Tether.

A única fonte de “receita” gerada pelo próprio Tether é o juros obtidos pelos dólares americanos mantidos em sua reserva.

O dinheiro que lastreia os tokens de Tether são armazenados em uma conta bancária, com relatórios recentes sugerindo de que eles estão sendo mantidos no Noble Bank em Porto Rico.

De acordo com Ardoino, o juros gerados pela reserva, não só cobre as despesas do Tether, mas também cobre investimentos em melhoria de sua infra-estrutura, marketing e conformidade do Tether.

Auditorias

Levando em consideração que o modelo de negócios do Tether depende da quantidade de dólares mantidos em sua reserva, a “receita” do Tether depende completamente da existência de toda a quantidade de dólares americanos necessária para lastrear os tokens de Tether em circulação.

Além disso, o modelo se sustenta ou recai na premissa de que a Bitfinex transfere todos os dólares para a conta bancária do Tether, a fim de não emitir tokens que não são lastreados pelo dólar.

Sem a existência dos dólares que lastreiam os tokens de Tether, não há maneira de obter juros sobre esses valores.

Por sua vez, a existência de uma reserva total determina se cada token, deve ou não, ser precificado em um dólar, ou seja, se todos os tokens de Tether são realmente garantidos por dólares americanos.

Se o Tether estiver funcionando como uma reserva parcial, uma operação na Bitfinex, na qual usuários depositam grandes quantidades de tokens de Tether ao mesmo tempo, faria o preço do Tether cair drasticamente.

Apesar de um relatório recente sugerir que grandes quantidades de dólar americano estão armazenadas no Noble Bank em Porto Rico, somente uma auditoria independente, como prometido pelo whitepaper do Tether, pode provar que todos os dólares americanos que estão lastreando o Tether existem.

Quando perguntado sobre a falta de auditorias, Ardoino reconheceu que uma auditoria independente é necessária para provar a existência de sua reserva completa para a comunidade.

O que queremos é não auditar as contas bancárias neste momento, mas queremos mostrar para a comunidade que temos todo o dinheiro no final de cada mês, desde uma data razoável como janeiro de 2017 em diante.

Ele acrescentou que negociações estão em andamento para encontrar um novo auditor.

Entretanto, isso pode não ser suficiente para provar que o Tether sempre teve lastro. Em seu estudo, Griffin e Shams analisaram a possibilidade de o Tether ter mantido uma reserva total somente no final de cada mês.

Se for verdade, um declínio no preço do bitcoin poderia ser esperado no final de cada mês, para que fosse criada a reserva necessária em dólares americanos. A análise mostra que, de fato, houve grandes quedas no preço do bitcoin no final dos meses em que grandes quantidades de tokens de Tether foram emitidos.

Essa correlação parece sugerir que essas quedas no preço do bitcoin podem estar relacionadas com a necessidade da Bitfinex de aumentar suas reservas no final de cada mês.

Embora alguns equívocos em relação ao Tether sejam abordados neste artigo através da análise de como o Tether funciona, é provável que a controvérsia em torno do Tether irá continuar até que tanto o Tether e a Bitfinex forneçam total transparência e auditorias independentes e conclusivas.


Nos siga nas redes sociais! Facebook e Twitter.


Você acredita que o preço do bitcoin está sendo manipulado pelo Tether? Comente.