• Tecnologia

    Blockchain

    Agência de classificação Moody’s alerta para o risco de blockchains privadas


    Por Alexandre Dantas Lage • 30 de abril de 2019
    tempo de leitura do artigo: 3 minutos

    Em um relatório, a agência de classificação Moody’s comparou os prós e contras da tecnologia para empresas do setor financeiro, e alertou sobre os riscos das blockchains centralizadas e privadas.

    Entitulado “Blockchain Improves Operational Efficiency for Securitizations, Amid New Risks”, o relatório liberado em 25 de abril de 2019 descreve os recursos básicos e promessas da tecnologia blockchain, explicando como as empresas financeiras, como os bancos, podem utilizar a tecnologia em seu benefício.

    Conforme relatado pela Coindesk, que teve acesso ao documento, a Moody’s enfatiza a diferença entre a segurança entre as blockchains públicas e privadas, afirmando que o mecanismo de consenso em blockchains privadas podem não ser tão seguras quanto as públicas, ou podem nem existir.

    De acordo com o relatório:

    Blockchains privadas/centralizadas estão mais expostas a fraude pois o projeto e a administração do sistema permanecem concentrados em uma ou poucas partes. A governança sólida da tecnologia é fundamental para gerenciar riscos.

    No entanto, para a Moody’s, as blockchains privadas se destacam onde a estrutura de governança e responsabilidade é mais clara. Além disso, enquanto um sistema descentralizado facilita recuperar e auditar os dados, ela também proporciona um “número maior de brechas para ataques”.

    Risco de blockchains privadas e públicas

    De acordo com a Moody’s, novos tipos de risco são criados pela tecnologia blockchain. Por ser uma nova tecnologia, é comum que novos riscos surjam à medida que a inovação evolui e se consolida ao redor do mundo.

    Assim, um desses novos riscos é a transferência da confiança do conhecido para o “desconhecido”.

    A tecnologia substitui a confiança na parte conhecida (outros humanos, instituições, intermediários) pela confiança na parte desconhecida (código, entidades e dinâmicas que são difíceis de entender).

    No entanto, o relatório da Moody’s também destaca o potencial benefício da tecnologia blockchain para vários setores. O uso de contratos inteligentes poderia simplificar a criação e o gerenciamento de títulos, por exemplo.

    Porém, por ainda não ter atingido um nível de maturidade, as aplicações em blockchain “permanecerão experimentais, limitadas a projetos piloto com um número pequeno de participantes e / ou processamento paralelo com tecnologias convencionais”, explica o documento.

    Casos de uso com a tecnologia

    Outro caso de uso promissor é a emissão de empréstimos. Ao colocar as informações sobre empréstimos em uma blockchain tornará a comunicação entre as partes mais rápida e direta. Assim, as informações estariam sempre atualizadas e seriam alteradas automaticamente.

    De acordo com o relatório:

    A blockchain de títulos pode confiar nos dados da blockchain de empréstimos, sujeitos a conferências e controles automatizados.

    Além disso, o documento também descreve alguns dos trabalhos que já foram feitos utilizando a tecnologia. Ele observa que alguns países da União Européia já começaram a trabalhar com registros imobiliários em blockchain.

    Sem registros imobiliários em blockchain, os ganhos de eficiência do lado ativo de uma transação de securitização garantida por hipotecas permanecerão limitados.

    Atualmente, muitos países e empresas estão testando os benefícios da blockchain. Como relatado pela CryptoRadar anteriormente, a Suíça foi o primeiro país a testar um sistema de votação em blockchain. Apesar de ser um piloto, o projeto foi considerado um sucesso.

    Você acredita que a tecnologia blockchain poderá transformar nossas vidas como muitos acreditam? Comente abaixo.


    Curta a página da CryptoRadar no Facebook e Twitter interaja conosco.
    Já ouviu nosso podcast? Acesse CryptoTalk e ouça.

  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.