• Tecnologia

    Mineração

    Novo relatório indica maior descentralização na mineração de bitcoin


    Por Alexandre Dantas Lage • 6 de fevereiro de 2019
    tempo de leitura do artigo: 2 minutos

    Conforme a distribuição de hashrate, um estudo realizado por uma empresa canadense relevou um aumento na descentralização na mineração do bitcoin.

    Bitcoin era mais centralizado em seus anos iniciais

    Em seu relatório de fevereiro, a Canaccord Genuity Group observou que, em seus anos iniciais, a mineração do bitcoin era mais centralizada, conforme a distribuição de hashrate. No entanto, nos últimos anos, o “aumento da concorrência” entre os fabricantes de chips de mineração causou uma diminuição na centralização.

    Segundo a empresa, em meados de 2014, o pool de mineração GHash.IO controlava cerca de 50% do total de hashrate do bitcoin. Portanto, essa centralização deixava o bitcoin vulnerável e o expunha a um possível ataque de 51%.

    Hashrate do bitcoin desde sua criação

    Hashrate do bitcoin desde sua criação. Fonte: Blockchain.info

    Ao controlar a maioria do hasrate, a blockchain e a moeda digital se tornam comprometidas, visto que um minerador malicioso pode alterar registros de transações, minerar blocos “vazios”, entre outras coisas.

    No entanto, em 2019, nenhum pool de mineração controla mais do que 20 porcento de todo o hasrate do bitcoin. Atualmente, cinco pools controlam entre 10 e 20 porcento, enquanto os demais controlam menos de 10 porcento do hashrate.

    Hashrate de mineração do Bitcoin

    Hashrate de mineração do Bitcoin. Fonte: Canaccord Genuity Group.

    Aumento da descentralização

    De acordo com a Canaccord, o aumento da descentralização na mineração do bitcoin é um fator “fundamentalmente positivo”.

    A empresa ainda acrescentou que, embora existam vários fatores que contribuíram para isso, o fator mais importante foi a “commoditização de chips de mineração de bitcoin e como a diminuição dos avanços em ASICs (circuitos integrados específicos de aplicação) permitiram uma competição mais ampla pelas recompensas da mineração de bitcoin.”

    chip canaan

    Chip Canaan Creative

    A Bitmain, por exemplo, vem perdendo espaço no mercado de mineração. De acordo com a Canaccord, a “incapacidade da Bitmain em produzir uma alternativa significativamente superior ao antminer S9” ajudou a Canaan Creative. Aliás, ela ainda acrescentou que, a competição mais acirrada ajudou na venda dos chips da concorrente.

    A disputa mais acirrada levou a Canaan Creative a vender seus chips para um público mais amplo de mineradoras que podem competir efetivamente com a Bitmain.

    Citando a pesquisa da ARK Invest, o relatório afirma ainda que a centralização do bitcoin, medida pelo Índice Herfindahl-Hirschman (HHI), diminuiu de forma constante de ~ 3.000 em 2013 para ~ 1.200 atualmente.

    O índice HHI é usado para medir a concentração do mercado. Um HHI inferior a 1.500 é considerado um “mercado competitivo”, um HHI de 1.500–2.500 é considerado “moderadamente concentrado” e um HHI de mais de 2.500 é considerado “altamente concentrado”, explicou a empresa.

     

    Você acredita que a descentralização na mineração do bitcoin continuará aumentando no futuro? Comente abaixo.


    Curta a página da CryptoRadar no Facebook e Twitter interaja conosco.
    Já ouviu nosso podcast? Acesse CryptoTalk e ouça.

  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.