• Tecnologia

    Segurança

    Transações p2p e confiança!


    Por Ezequiel Gomes • 15 de abril de 2019
    tempo de leitura do artigo: 2 minutos

    Uma das palavras em inglês muito usadas no universo da blockchain é a expressão “trustless”, traduzida como a expressão “sem necessidade de confiança”. A ideia é que a Blockchain elimina intermediários e a necessidade de confiar nos governos e bancos para gerar e gerir o dinheiro de uma sociedade.

    Acontece que, conquanto o Bitcoin elimine a necessidade de confiar em muitos intermediários e instâncias, ele não elimina completamente a necessidade de confiar nas pessoas.

    Numa transação de Bitcoin normal há duas partes envolvidas e há a necessidade de que uma confie na outra em vários contextos. Vejamos brevemente uma negociação que chamamos de p2p.

    Um comprador interessado em ter Bitcoin procura um vendedor interessado em vender Bitcoin. Há a necessidade de que esse comprador confie nesse vendedor em vários sentidos.

    Ele deve confiar que o vendedor realmente possua Bitcoin, que realmente esteja disposto a vender, que realmente esteja dando cotações justas para o preço da moeda, que realmente enviará, de fato, o Bitcoin após receber o dinheiro do comprador, etc.

    Dessa forma, é necessário confiar numa pessoa para proceder a compra do Bitcoin e isso torna necessário que haja formas de conectar as diferentes pessoas entre si a fim de que elas passem a confiar umas nas outras a medida em que elas tenham o costume de fazer transações com a moeda digital.

    Dicas para evitar problemas

    Algumas dicas para essa relação são simples e certeiras.

    Não negocie valores altos antes de ter conhecimento e experiência com um vendedor de Bitcoin. O mesmo se aplica a vendedores que no primeiro contato com um cliente se deparam com transações acima da média em termos de valor por transação.

    Uma transação de Bitcoin quando envolve mais de duas partes/pessoas pode se tornar campo para os golpes dos chamados “homem do meio”, que ocorrem quando um criminoso engana uma pessoa que deseja comprar ou vender bitcoin incluindo um terceiro na transação e confundindo o papel de cada uma. Esse tipo de golpe é muito comum, mas pode ser evitado na postura de se confirmar a identidade de todas as pessoas envolvidas e sua participação na transação. Em caso de dúvida não ultrapasse.

    Para mitigar esse tipo de risco é que existem plataformas de negociação e empresas registradas para trazer mais tranquilidade aos usuários que não se sentirem confortáveis com as transações p2p.

    O mercado do Bitcoin no Brasil e no mundo ocorre mais em forma de transações p2p do que nas exchanges e empresas e a há uma grande quantia de pessoas nesse espaço estão fazendo um trabalho sério.

    Os alertas são necessários simplesmente como avisos de que a blockchain elimina a necessidade de confiança em absoluto. Por isso é necessário que haja profissionalismo da parte dos players no mercado para que o mercado lhes retribua com confiança e o resultado sejam negócios não apenas bons, mas seguros.


    Curta a página da CryptoRadar no Facebook e Twitter interaja conosco.
    Já ouviu nosso podcast? Acesse CryptoTalk e ouça.


  • CryptoTalk banner

  • Matérias Relacionadas


    Carregar mais matérias relacionadas.